Buscar
  • Marat Fage

A verdade sobre o Cigarro Eletrônico: faz mal?

Atualizado: Set 20

Estamos na era da informação digital! É possível encontrar de tudo de forma rápida e prática, em poucos cliques a informação chega até você, e uma grande dúvida surge na cabeça dos jovens e de seus pais: o cigarro eletrônico faz menos mal para a saúde do que o cigarro comum?


Pouco se fala sobre a verdadeira face do Cigarro Eletrônico (Vape, Vaporizador, Jull, Pod, Caneta), então vamos destrinchar esse assunto!



O cigarro eletrônico é moderno, é descolado, é atual, e tem uma infinidade de sabores e aromas, que à primeira vista, encantam os jovens e dão a ideia de que essa é uma alternativa inofensiva à saúde. Mas tudo isso não passa de uma bela armadilha!


No cigarro eletrônico, muitas pessoas pensam que o fato de soltar "vapor" é diferente de soltar a fumaça do cigarro comum, mas se enganam, pois, da mesma forma acontece a alteração molecular quando as substâncias passam pelo calor e têm suas estruturas moleculares alteradas.


As substâncias presentes no cigarro eletrônico são, em sua maioria: solventes, glicol, glicerol, glicerina, benzina, corantes, flavorizante, entre outras substâncias que mudam de estrutura, se transformam em outras mais perigosas ainda para o organismo humano e animal.


Um estudo da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, publicado na revista PLoS Biology mostrou que os líquidos utilizados para dar sabor ao dispositivo contêm substâncias tóxicas que variam muito entre elas, sendo algumas mais perigosas que outras. Dependendo do chamado "e-liquid", a composição pode ser ainda mais prejudicial que o cigarro de tabaco, alerta o artigo.


Robert Tarran, professor de biologia celular e fisiologia da instituição e principal autor do trabalho, conta que os líquidos são bastante diversos e que não seguem uma padronização.


"Em alguns produtos, os componentes eram mais tóxicos que a nicotina sozinha e que os ingredientes base dos e-liquid, que são glicerina vegetal e propilenoglicol, substância também vegetal. Nós constatamos que, mesmo na ausência de nicotina ou de aromatizantes, pequenas doses desses compostos orgânicos reduzem significativamente o crescimento das células humanas"

Todas essas substâncias são levadas para o organismo do fumante, e a grande maioria das pessoas acreditam incorretamente que estão "vaporando" um vapor de água inofensivo, quando, na verdade, os cigarros eletrônicos criam aerossóis que contêm substâncias químicas nocivas e partículas ultra-finas inaladas diretamente para os pulmões.


Se você está buscando parar de fumar, não caia na cilada do Cigarro Eletrônico!


O Instituto Marat trata exclusivamente fumantes há 44 anos, com uma técnica auricular francesa baseada na acupuntura. Ela reduz, quando não elimina, as reações pela falta da nicotina chamada fissura. Sem causar efeitos colaterais e sem medicação!


Entre em contato conosco e pare de fumar em uma única sessão!






40 visualizações0 comentário